Meninas na Ciência

Formação/Cursos

Descrição

O projeto “Meninas na Ciência” tem como objetivo atrair meninas para as carreiras de ciência e tecnologia (C&T) e estimular mulheres que já escolheram essas carreiras a persistirem e se tornarem agentes no desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil. Este objetivo é trilhado a partir da formação de alunas e alunos de graduação para difundirem a ciência e a tecnologia por meio da astronomia, da física e da robótica em escolas públicas. Além desta função formadora na área de ciências, o projeto visa sensibilizar a comunidade acadêmica e as comunidades mais carentes sobre o papel da mulher na sociedade, contribuindo para a eliminação de estereótipos de gênero.


Em linhas gerais, nossas ações incluem:

  1. formação continuada de alunas e alunos de graduação com foco em astronomia, física e robótica para o ensino de ciências e tecnologias;

  2. oficinas de ciências e debates sobre questões de gênero em escolas públicas da capital e região metropolitana, priorizando aquelas em situação de vulnerabilidade social;

  3. curso de robótica em uma escola pública;

  4. produção de filmes para difundir a presença de mulheres em carreira de C&T, criando assim modelos femininos em áreas onde há baixa representatividade de mulheres;

  5. cursos de capacitação de professores do ensino básico na área de ciências;

  6. abertura dos campi da UFRGS e atividades no local para alunas do ensino fundamental e médio.

Histórico

A cada 1000 brasileiros entre 25 e 34 anos, apenas 8 são mulheres que atuam em áreas de ciência e tecnologia. Uma questão extremamente problemática, levando em conta que pelo menos 50% dos universitários são mulheres. Ao analisar as carreiras em diversas áreas, a presença feminina se torna ainda menor em cargos mais avançados, mas é nas ciências exatas e tecnológicas que esse fenômeno chamado de Efeito Tesoura se torna ainda mais alarmante. O projeto Meninas Fazendo Ciências Exatas, Engenharias e Computação, mais conhecido por “Meninas na Ciência” começou em 2013, como um programa de extensão do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e tem como objetivo mudar essa realidade, atraindo meninas para as carreiras de ciência e tecnologia (C&T) e estimulando mulheres que já escolheram essas carreiras a persistirem e se tornarem agentes no desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil, combatendo o machismo e fazendo uma ciência mais diversa.

Equipe envolvida

Coordenadora: Carolina Brito
Vice-coordenadora: Daniela Pavani

Professoras/es e pesquisadoras/es parceiros:
Prof. Alan Brito – IF UFRGS e diretor do Observatório Astronômico da UFRGS, Profa. Alejandra Romero – IF UFRGS, Prof. Alexsandro Pereira de Pereira – IF UFRGS, Profa. Josiane de Souza – IFSul, Profa. Karem Espíndola – Colégio Estadual Odila Gay da Fonseca, Profa. Marcia Barbosa – IF UFRGS, Nicole de March – Pós Doutoranda no IF UFRGS.

Equipe de trabalho de 2020 (estudantes da UFRGS):
Diandra da Silva Machado, Francini da Silva Santos, Ana Landgraf Rizzato, Gabriela Silveira, Isadora Schneider Junqueira, João Gustavo Barcellos, Katieli Abreu Rodrigues, Lorena Luduvice, Marlise Moreira, Vitória Gomes

Instituição Relacionada

O projeto é uma ação de extensão do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Beneficiários

Centros de Pesquisa, Universidades, Escolas/Faculdades/Institutos, Centros de Treinamento Técnico, Institutos Públicos, Institutos Profissionais, Organizações públicas ou ONGs de Ciência, Tecnologia e Inovação, Empresas privadas, Pequenas e Médias Empresas, Cooperativas, Fundações, Grupos de Pesquisa & Desenvolvimento locais, Pesquisadores e Professores Universitários, Pessoal Técnico e Assistentes em Ciência, Tecnologia e Inovação, Estudantes, Indivíduos, Mulheres (exclusivamente), Populações Indígenas e Comunidades Locais, Pessoas com Deficiência, Minorias, Profissionais/Doutores

Objetivos de Igualdade de Gênero do SAGA Unesco Relacionados

1.1 Promover a conscientização e superar preconceitos de gênero não-conscientes e culturais amplamente expressados como estereótipos de gênero, entre cientistas, educadores, formuladores de políticas públicas, instituições de pesquisa, mídia e o público em geral.


1.2 Promover visibilidade de mulheres com qualificação em STEM e em carreira em STEM, especialmente em posições de liderança nos governos, empresas, universidades e instituições de pesquisa.


1.3 Tornar comum as perspectivas de gêneros nas comunicações científicas e em atividades formais e informais de educação em STEM, incluindo em centros de ciência e museus.


2.1 Promover vocações de Ciência e Tecnologia para garotas e jovens mulheres, incluindo através da estimulação do interesse, fomentando conhecimento profundo sobre desafios de carreira em Ciência & Engenharia e apresentando pessoas que sejam exemplos de casos de sucesso.


2.2 Tornar comum a perspectiva de gênero em conteúdos educacionais (treinamentos de professores, currículo, métodos pedagógicos e material de ensino).


2.3 Promover abordagens pedagógicas ao ensino de STEM que sejam sensíveis à questão de gênero, incluindo encorajar o treinamento práticos e experimentos.


2.4 Promover um equilíbrio em termos de gênero entre os professores de STEM.


2.5 Promover igualdade de gênero nas transições da escola para o trabalho nas áreas de STEM.


3.2 Prevenir preconceitos de gênero nos processos de admissão de estudantes e de ajuda financeira.


3.3 Promover a retenção de mulheres na educação superior de STEM em todos os níveis, inclusive através de orientação sensível à questão de gênero, oficinas e redes.


3.4 Prevenir discriminação baseada em gênero e assédio sexual em todos os níveis, incluindo Mestrado e Doutorado.


4.5 Promover igualdade de gênero na mobilidade internacional de pós-doutoras e pesquisadoras e facilitar o retorno das mulheres.


4.6 Promover um equilíbrio de gênero em posições de liderança em ocupações de Ciência & Tecnologia (incluindo tomadores de decisão e pesquisa).


4.7 Promover transformações de instituições e organizações de Ciência, Tecnologia e Inovação (estrutura, governança, políticas, normas e valores).


4.8 Garantir igualdade de gênero em certificações profissionais de Ciência & Engenharia, em particular em engenharia.


5.1 Estabelecer programas de Pesquisa & Desenvolvimento especificamente orientados à gênero, incluindo pesquisa sobre gênero em STEM e sobr a dimensão de gênero do portfolio e agenda de pesquisa do país.


5.2 Incorporar dimensões de gênero na avaliação de projetos de Pesquisa & Desenvolvimento.


5.3 Promover a análise sensível à questão de gênero em hipóteses de pesquisa e consideração do sexo de objetos de pesquisa.


5.4 Promover disseminação e comunicação científica responsiva e sensível à questão de gênero, incluindo através de centros científicos e museus, jornalismo científico, conferências específicas, oficinas e publicações.


7.3 Garantir a visibilidade de empreendedoras mulheres como exemplos de casos de sucesso.


7.5 Promover redes de mulheres empreendedoras e participação feminina em redes empreendedoras.


7.6 Promover abordagens de inovação que considerem a questão de gênero.


7.7 Promover incentivos externos e reconhecimento para inovação conduzida por mulheres e aceitação de mulheres inovadoras na sociedade.


7.8 Promover igualdade de gênero no acesso e uso de tecnologias estruturantes, em particular as tecnologias de informação e comunicação.

ODSs Relacionados

Objetivo 4. Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.


Objetivo 5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

Apoio

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq);
Fundação Carlos Chagas;
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC);
Fundo Elas;
Pró-Reitoria de Extensão (PROREXT) da UFRGS;
Instituto Unibanco;
Pró Reitoria de Pesquisa (Propesq) da UFRGS.

Período de Funcionamento

Desde 2013

Abrangência

Internacional

Contatos

Site:

Instagram:

Facebook:

LinkedIn:

-

Outros:

-

E-mail:

Telefone:

-

Av. Bento Gonçalves, 9500 - Agronomia, Porto Alegre - RS Instituto de Física - Campus do Vale - Prédio 43135

Endereço:

desenvolvido por LABORe